23fev

Contação de histórias colabora no desenvolvimento da criança

23-02-2017

Para uma criança, o que pode ser mais incrível do que não apenas ouvir, mas participar de uma história de fantasia? Observar os personagens, ouvir suas vozes, interagir com eles, ver a história acontecendo fora das páginas de um livro – bem diante de seus olhos. A contação de histórias desperta um efeito mágico na cabeça dos pequenos que, com toda a pureza e criatividade próprias da infância, conseguem se transportar para o mundo dos contos de fada.

Muito além de divertida, a contação de histórias é uma excelente ferramenta na educação infantil. Por ser interativa e animada, a contação de histórias consegue prender a atenção das crianças, que costumam ter dificuldade para manter o foco numa única atividade durante a primeira infância. Ao envolver e entreter a criança, o processo de transmissão e assimilação de conteúdo torna-se muito mais fácil, dinâmico e espontâneo – atingindo, assim, o objetivo maior de quem educa uma criança: a aprendizagem significativa. Usar das histórias como técnica didática é satisfatório tanto para o educador – que percebe o envolvimento e interesse do aluno -, quanto para a criança – que aprende de maneira lúdica.

Mas os benefícios da contação de história vão muito além de facilitar a dinâmica em sala de aula. O ato de dedicar um momento exclusivo para contar uma história garante uma gigante contribuição no desenvolvimento integral da criança. Saiba mais sobre os aspectos que ganham mais desenvoltura quando o aprendizado acontece através da contação de histórias:

ORALIDADE

A magia da contação de histórias não está na própria história – está no que ela desperta na criança. Ouvir a história, conversar com seus personagens, fazer perguntas sobre o enredo e reproduzir a história contada para os familiares é um grande incentivo ao desenvolvimento da capacidade comunicativa da criança.

A contação de histórias torna-se um ótimo exercício oratório porque trabalha a narrativa de forma envolvente e cativante, de forma a fixar a história na cabeça da criança e despertar alto nível de interesse. Quando interessada num assunto, a criança tende a transmiti-lo para outras pessoas ao seu redor, exercitando sua capacidade de expressão, de desenvoltura, de consciência e explicação cronológica de fatos, aprimorando assim sua habilidade de se comunicar com o mundo.

Ainda pode-se citar o desenvolvimento linguístico incluso na técnica de contação de histórias. Durante a primeira infância, a criança dispõe de um vocabulário limitado, majoritariamente composto pelos termos utilizados no dia-a-dia, nos assuntos que envolvem ambiente familiar e escolar. A contação de histórias permite a viagem ao fantástico, ao mundo imaginário – o que, além de despertar a imaginação e a curiosidade, abre caminho para introdução de novos vocábulos e aprimoramento do domínio linguístico da criança.

EXPRESSÃO EMOCIONAL

A grande magia das histórias infantis está no fantástico, no imaginativo, na capacidade que a criança tem de abstrair a realidade e se deixar mergulhar num mundo fictício, mágico, encantador, onde tudo é possível e nem o céu é o limite. Cada história traz à tona a vivência do riso, do encantamento, da perplexidade, do medo, da descoberta ou de alguma outra emoção que ainda está em processo de assimilação pela criança, graças à sua breve experiência de vida. O momento em que tais emoções se externam ensina valiosas lições sobre a personalidade da criança, sobre a forma como ela se expressa para o mundo e como aceita a reação dos outros em relação aos seus sentimentos.

A consciência da imaginação, das emoções e dos sentimentos desenvolve positivamente quesitos como afetividade, sensibilidade e compreensão – afinal, a educação infantil deve ter em suas prioridades a formação de pessoas mais humanas.

INTERPRETAÇÃO E INTERAÇÃO SOCIAL

Parte essencial da efetividade da contação de histórias como ferramenta de educação infantil está na postura que ela proporciona para a criança: não apenas de ouvinte, mas de participante ativa na história que está sendo contada. Conversa com os personagens, faz perguntas e tenta ajudá-los – muitas vezes em conjunto com os amigos de classe, quando a contação de histórias é feita em sala de aula.

Toda a atmosfera que envolve o momento da contação de histórias estimula a capacidade crítica de interpretação e interação social dos pequenos. Conceitos de compartilhamento, divisão, de saber se expressar sem ferir o outro e de respeitar a vez do outro de se expressar devem ser exercitadas desde a educação infantil, e a contação de histórias estimula tais conceitos de maneira divertida e descomplicada. Este é o caminho para a formação de cidadãos conscientes que convivem em harmonia.

HÁBITO DE LEITURA

Mais do que saber ler, é necessário que a criança goste de ler – e cultivar esse gosto é uma importante função da escola de educação infantil, em parceria com a família. É durante a primeira infância que se formam os hábitos da pessoa, e é por esta razão que a boa relação com a leitura deve ser construída logo nos anos iniciais de vida. A literatura infantil é um ótimo instrumento para o desenvolvimento cognitivo e social da criança – principalmente quando é absorvida em forma de contação de história, onde se transforma a literatura em algo prazeroso e divertido. Quando associada à diversão, é natural que a leitura torne-se um hábito de vida.

Se você está a procura de uma escola de educação infantil que se preocupa com os métodos de ludicidade e didática envolvidos na aprendizagem, agende uma visita no Curupira Educação Bilíngue. No Curupira, você tem a garantia de que seu filho aprenderá de forma divertida, dinâmica e cercada de muito amor.